Minha lista de blogs

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

AS COMUNIDADES ALTERNATIVAS

2 de setembro de 2009
A Comunidade Alternativa
Por: Eknath

Prefácio

AS COMUNIDADES ALTERNATIVAS SÃO UMA REALIDADE !!!

As comunidades alternativas existem espalhadas pelo mundo todo, de várias formas e maneiras e estão dando um exemplo de cooperativismo, cooperacão, consciencia grupal, organização, equilíbrio dos planos material e espiritual; em fim, um modelo novo a ser copiado por quem estiver interessado e afinado com essas propostas de vida.O que expomos neste livreto é um estudo feito à um tempo atrás quando nos reuníamos para debater as propostas alternativas de vida que vinham acontecendo e que sentíamos, naquela época, a sua importância e por isso estou trnascrevendo à todos os interessados e aqueles que estão espenhados em organizar ou fundar uma comunidade, possam se utilizar dessas humildes dicas deste amigo que desde 1975 se dedica ao Movimento Comunitário Brasileiro e que já viveu em três comunidades alternativas e fundou duas neste nosso país - A Aldeia Comunicampo em Mato Grosso e a Fraterniunidade em Goiás e passou uma experiência na extinta Mãe d' Àgua em Minas Gerais, além de visitar muitos grupos por todo o Brasil e também no exterior.Nossos agradecimentos à Aurora Espiritual, a Atmacharya Ashram, à Abrasca, à Comunicampo, à Fraterniunidade, a Mãe d' Àgua e a Arca Banco de Dados, que também colaboraram neste trabalho, bem como ao Arnaldo com os xerox da presente edição. À todos o nosso muito obrigado por estarmos juntos e formarmos essa grande família em Aquarius !!!Esperamos que este guia sirva de apoio e de incentivo à todos aqueles que estão empenhados na luta comunitária e alternativa, não só em nosso país, mas em todo o mundo. NAMASTE !!! (Eknath).

O que é uma comunidade?

É uma organização grupal, rural ou urbana, que visa integrar as pessoas em divisão de tarefas e bens, como uma saída viável de vida equilibrada em todos os sentidos e planos, em contato com a natureza e dando possibilidades a todos seus membros de se desenvolverem interiormente, expandir suas consciências e realizar o ser integral em comunhão com o mundo externo e a sociedade vigente.A comunidade tem a possibilidade de dar a seus membros uma vida completa e verdadeira, equilibrada e harmônica, desenvolvendo todos os planos, desde o físico, o emocional, o mental e o espiritual, participando de atividades sociais, culturais, artísticas, educacionais, espirituais, terapeuticas, etc.Existem muitos tipos de organização comunitária, com tendências variadas ou de caráter eclético e integral. A idéia de vida comunitária existe desde a antiguedade, sempre com a proposta de união, fraternidade e ajuda mútua, misnimizando as dificuldades do mundo externo e vigente. Enfim, é um termo amplo, mas que se resume em uma organização grupal humana que visa encontrar as alternativas de vida, o Bem Comum e a Realização do Ser.

O que representa a decisão de formar uma comunidade?

Acreditamos que um dos maiores motivos de formação comunitária se deve ao "inconformismo"com o sistema vigente em seus múltiplos aspectos: social, económico, religioso, educacional, cultural e espiritual. Quando vemos que um sistema já não nos satisfaz mais, criamos um sistema paralelo para substituí-lo e é que o que denominamos de "alternativo". A revolta interna em relação ao que acontece externamente, a busca de soluções, a experiência com o sistema vigente conhecendo suas deficiencas, a injustiça social e econômica, a educação intencionalista para o sistema consumista, etc. A pressão familiar, das religiões e da sociedade, as escolas, a necessidade econômica, a pressão comercial e industrial, a poluição em todos os sentidos, a falta de humanismo, de espiritualidade, a falta de tempo útil para as artes, a cultura e o desenvolvimento interno; enfim, uma série de razões fizeram e fazem (e farão) com que surjam sistemas alternativos. Existem muitos ipos de experiência comunitária a saber:Comunidade Urbana - Comunidade Rural - Comunidade Rurbana - Condomínio Rural - Condomínio Urbano - Condomínio Rurbano - Cooperativas - Associações Comunitárias - Polos ou Focos Comunitários Ecológicoss - Cidades ou Aldeias Alternativas - Comunidades de Base - Associações de Bairro - Associações de Moradores - Comunidades Indígenas - Comunidades de Negros - Comunidades Árabes - Comunidades de Russos - Comunidades Kibutz - Comunidades de Ciganos - Comunidades Ecológicas - Religiosas - Terapêuticas - Educacionaais - Agrícolas - Nômades - Circenses - Naturalistas - Nudistas - Ecléticas - Fraternidades Espiritualistas - Casas de Encontros - Chácaras de Retiros - Ashrams - Monastérios - Mosteiros - Musicais e Artísticas - etc!...Um dos maiores problemas na mudança de sistema é o da adaptação a nova vida, que para a maioria, deve ser graduativa, pois causa um impacto tanto para quem vai quanto para quem fica e os aspectos familiares pesam, pois surge uma nova família para aquele que optou por essa nova maneira de viver.Os benefícios para o mundo do futuro são incontáveis, pois teremos um mundo mais equilibrado e harmônico em todos os níveis e planos, mais justo e humano, espiritualizado e socializado, educando-se integralmente os seres, teórico e praticamente, dando-se as crianças um futuro de esperanças reais para uma nova e bem aventurada vida. Acreditamos que o sistema vigente quando este se tornar totalmente obsoleto e inviável e tem nos mostrado que seguirá esse caminho.

Como escolher a terra?

Acreditamos que é importante limitar o número de membros de acordo com o tamanho ta tera adquirida, sendo que achamos que a área mínima seria de 30 hectares e a máxima de 500 hectares. Para uma área de 100 hectares, achamos que o número máximo de membros seria de 50 pessoas, com folga, sem necessiddes extremas ou urgentes. Buscar uma área com reserva florestal, fauna, flora, plantações, lazer, etc; isso para uma comunidade rural ou agrícola. Seriam 2 hectares por pessoa, para cada membro da comuniddes. Isto para nós é o ideal e acreditamos que no Brasil tem espaço para tal. Evitaríamos assim as aglomerações humanas que as tornam desumanas a exemplo das grandes cidades que conhecemos e até das menores. Seria a idéia de desentralizar os grandes centros urbanos, num equlibrio entre o urbano e o rural, a cidade em omunhão com a natureza, em povoações e aldeias, villas, com reservas ecológicas, áreas de lazer, cultura, práticas terapêuticas e artísticas, agricultura natural, espiritualismo, construções harmônicas com a natureza e o meio ambiente, paisagismo ecológico, etc.A terra deve estar situada em lugar seguro, de preferência em lugar montanhoso (mais protegido) e com nenhuma tendencia para instalação de indústrias, estradas federais, exploração de minérios, etc. Sugerimos que procurem a terra dentro dos Pólos Ecológicos existentes, por exemplo: Chapada Diamantina, Chapada dos Guimarães, Chapada dos Veadeiros, Sera dos Pireneus, Serra da Bocaina, Serra do Mar e alguns outros. Procure ver que a terra tenha água de fonte, nascente dentro da terra, estrada de acceso razoável, fertilidade do solo boa, alguma casa para iniciar e um pequeno pomar de preferência e sugerência e sugerimos que assim que mudar, plante o máximo de árvores frutíferas possíveis.

Registro da terra

Achamos que a terra deve ser registrada em nome do grupo (Associação, fundação, cooperativa, fraternidade, etc) e como reserva biológica e que no caso de extinção, seja passada a terra para alguma comunidade similar conhecida ou para ABRASCA (Associação Brasileira de Comunidades Alternativas), que se responzabilizaria pela condução da mesma na forma semelhante à anterior, sendo que o trabalho continuaria com seu objetivo e missão comunitária. A Associção direciona os trabalhos conseguindo pessoas para a sua continuidade. A Associação serve de proteção à todos os grupos e a missão comunitária em geral. Cada grupo pode filiar-se à ABRASCA ou através de uma das suas regionais em sua região. Regionais da ABRASCA. É óbvio que se tenha um estatuto e um regimento interno. A organização interna é fundamental e básica para o bom funcionamento da comunidade. A terra estando registrada em nome da comunidade, cria mais responsabilidades e participação de seus membros e evita o paternalismo, a centralização, ditadura pela posse, etc. Consulte diversos estatutos já existentes e veja qual se aproxima mais ao vosso caso e adapte-o de acôrdo com as normas estabelecidas pelo grupo. O estatuto deve ser muito bem feito e com cuidado.

Como se mudar?

A pessoa deve, em primeiro lugar, aceitar a possibilidade da nova vida que optou, acreditar nela, buscá-la, querer a nova vida, compreedê-la profundamente, sentí-la em todos os níveis possíveis, amá-la de coração, conscietiza-la internamente, para então vive-la integralmente até passar a SE-LA em essência e plenamente em si mesmo. Este preparo interior é muito importante, sendo que depois a pessoa se liberta dos laços da vida anterior, dívidas, anelos, família, sociedade, etc, ficando livre totalmente, vendendo (caso queira) os seus bens e aplicando na comunidade, sua nova vida e seu novo lar. Temos que ver e sentir a comunidade como a nossa casa e sentí-la de coração puro e aberto, aceitando-a conscientemente. É importante que todos ajudem materialmente na contrução, desenvolvimento e manutenção da comunidade, para que assumam a sua cota de responsabilidade em todos os planos e níveis e que sua estrutura interna e consciente possa levar a comunidade para seu aspecto ideal e perfeito. Deixe a vida anterior para trás e viva totalmente a nova experiência, uma vez conscientizada, sem olhar mais para trás, mas somente para a frente a partir daquela decisão ter sido tomada e SEJA FELIZ.

Primeiros dias na terra

Toda mudança requer adaptação interna prévia, para que, depois, no plano físico e emocional, e até mental, não hajam impactos, errepentimentos, choques, impecilhos fortes, dúvidas, desistencias, etc. Se a pessoa já se preparou antes, os primeiros dias na vida nova e no novo local não serão difíceis, mas sim, cheios de alegria e criatividade plena. Quanto mais a pessoa de preparou e se conscientizou anteriormente, melhor será a sua adptação à nova vida, mais feliz será a sua continuidade e asimilação da mesma.Notamos que os maiores problemas surgem daqueles que não se preparam. Pode se ter uma casa na cidade para contatos diretos com a sociedade alternativa e com a vigente, transmitindo à esta última, nossa experiência e vivência comunitária da Nova Era. Pode-se e deve-se ir na cidade próxima para contatos com as pessoas daquela sociedade que não deixa de ser uma proposta comunitária também, apesar de muito desequilibrada e personalista.A Comunidade logo que é formada deve iniciar seus trabalhos com agricultura, pomar, roça, construções, reformas, organização interna (regimento e planejamento), viabilidade econômica, contato social, cultural e espiritual, educação das crianças, ecologia do local, reservas, etc, pois todo o tempo é precioso e deve ser bem aproveitado, para aplicação imediata e com muito amor nos corações e paz nas mentes; além de tudo, com uma boa dose de tranquilidade.

Planificação da comunidade

A Comunidade deve ter uma organização que funcione, com um regimento interno claro e preciso, disciplina para despertar a auto-disciplina em cada um de seus membros, comissões de trabalho, setores, com coordenadores em cada área e, se quiserem, fazer o rodízio para que todos passem pela experiência integral da comunidade, caso o membro queira evidentemente. TUDO NA COMUNIDADE DEVE SER VOLUNTÁRIO!!! Deve ter reuniõessemanais e extraordinária caso precise com um assunto urgente, definir bem suas metas, finalidades e objetivos, busca interior e realização do ser como meta maior, pois uma comunidde sem uma busca maior (espiritual) costuma não desenvolver integralmente e ir para a frente com harmonia e equilíbrio, alimentação adotada e damos sugestão de ser a mais natural possível, vegetariana e integral, bem como a própia agricultura que a mantém; desenvolver a consciência ecológica em cada um, equilíbrio em todos os planos através da consciencia amplia e desenvolvida, do conhecimento e auto-conhecimento, para a auto-realização de cada um de seus integrantes, pois UMA COMUNIDADE FELIZ SE FAZ COM MEMBROS FELIZES!!! Visar o Bem Comum para ter uma vida alternativa equilibrada, para uma sociedade humana e justa, verdadeira em suas bases e nas tônicas do AMOR E DA PAZ!!!

Subsistência da comunidade

A Comunidade deve estar organizada internamente para funcionar externamente e ter subsistência, que a levará a auto-suficiencia em todos os planos. Deve ter agricultura variada em hortas, pomares, roças e jardins, publicações, artesanato, apicultura, vivências de fim de semana com cursos, casa de encontros nas cidades, bazar com os produtos a venda, caixa de doações, sala de terapias, yoga e meditação (Templo), local para cursos e palestras, etc. Aplicar as doações para ampliação e melhoramento da própia comunidade e de seus membros, venda dos excessos dos produtos nas feiras livres da localidade mais próxima, trocas com os vizinhos, os plantios "na meia"ou "na têrça", fabricação caseira de diversos produtos, participação do movimento omo um todo, encontrosm seminârios, viagens, etc.

Departamentos

Templo o sala de meditação, sala de terapias ou práticas de yoga (espirituais), farmácia e ambultório, biblioteca coletiva, escritório, sala de costura ou atelier para artesanatos em geral, sala de artes, videoteca (caso tiver energia elétrica) e sala de som, oficina, cozinha e refeitório coletivos, depósito ou dispensa, paiol, ferramentaria, sala de sementes, quartos dormitórios ou casa de hóspedes e casa para pretendentes à membros, casas individuais para os residentes e membros fixos mais antigos, sala de reuniões, palestras ou encontros, quadro mural de avisos, departamento de limpeza, comissão da horta, pomar e roça, comissão dos jardins, meio ambientes e paisagismo, educação e escola para as crianças, comunicação e contatos, divulgação e imprensa alternativa (boletins, livros, panfletos, etc), herbário (plantas medicinais), etc.Que as casas sejam ecológicas e que ofereçam um conforto simples e aconchegante, necessário para o bem estar de todos. "O NEGÓCIO É SER PEQUENHO", portanto, que as comundades tenham um limite equilibrado de população e de área, pois temos visto que os extremos são perjudiciais em todos em seus aspectos e planos. Muitas mudanças realmente são ocasionadas pelas necessidades que vão surgindo e que existem, dando um toque de consciencia e ativando para a ação imediata. Se agentes internos não agem, os externos fazem a sua parte e estimulam movimento e evolução, crescendo-se sempre para o "alto", para o SER.


Sobre o Autor:

Eknath é atual membro e fundador da comunidade FRATER no Vale Dourado/GO - Brasil, e é uns dos participantes mais antigos da ABRASCA e consequentemente dos ENCAS. Ao longo de muitos anos a desenvolvido um grande trabalho de resgate e visão ao movimento alternativo comunitário no Brasil.

Fonte:
http://www.geocities.com/Heartland/Creek/4760/Eknath.htm


Poderá também gostar de:
•Como fundar uma associação
•Pontos Guia para o Desenvolvimento de Ecovilas
•Conceitos Básicos sobre Permacultura

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário